Pular para o conteúdo principal

O QUE EU LI EM MAIO


Enfim tive tempo para escrever aqui no blog, gente passei tempo demais sem postar, por favor não me abandonem leitores! Juro que organizei meu tempo e agora vai dar para voltar a postar diariamente, mas deixando a conversa fiada para lá, vamos falar sobre livros! Há um bom tempo queria falar sobre leitura aqui no blog, resolvi parar de só querer e começar. 
Os livro que vou falar hoje são os que li no mês de maio, afinal ele acabou a 6 dias e ainda não comecei nenhum esse mês (quem tiver indicação deixa nos comentários).
Não li nenhum lançamento, muito pelo contrário, o mais recente é do ano passado, mas se você não leu nenhum deles recomendo todos!


A Esperança - Suzanne Collins


Esse é o terceiro livro da saga Jogos Vorazes e já era para eu tê-lo lido ano passado junto com os outros dois, mas como eu sou bobona, fui adiando, o livro ficou mais caro, depois ficou um absurdo de caro, mas como eu vi que é uma tendência resolvi comprar antes que meu cartão de crédito não tivesse limite suficiente hehe...

A história da Saga Jogos Vorazes você já deve ter ouvido falar, o filme do primeiro livro saiu esse ano e foi um dos mais vistos por aqui.  Então se você viu o filme ou leu o primeiro livro deve estar mais que habituado ao enredo, se não leia isso.

A Esperança trás uma Katniss ainda mais desconfiada de tudo e de todos, atormentada por pesadelos, preocupada com Peeta, com sua família, com todos menos ela, como toda boa heroína tem que ser.
O foco principal está na guerra, em derrotar a Capital e matar o Presidente Snow e para variar Katniss teve que se submeter aos desejos de alguém, dessa vez do Distrito 13 e sua líder Coin, para o bem de todos que ela ama aceitando o papel de tordo.

Suzanne Colins mais uma vez nos fez tomar o lugar de Katniss, viver toda a situação, pensar como ela (e como ela pensa!), eu realmente fiquei angustiada, se você acha que tudo de ruim já aconteceu nos dois outros livros saiba que o sofrimento permanece vívido e presente e a cada página provamos o sabor do veneno e tragamos o doce e enjoativo cheiro de rosas, um turbilhão de coisas acontecem para nos provocar, nos deixar desconfiados e confusos, essa foi uma das coisas que mais experimentei, confusão.

Todos os personagens tiveram um papel na estória contribuindo fundamentalmente ou de forma sutil, até mesmo Buttercup, o gato de Prim, foi responsável por momentos emocionantes.
Prim! Delicada como a flor que dá origem ao seu nome, forte como a irmã e sábia como nenhuma outra, ela permanecerá em nossos corações.
Haymitch nosso bêbado favorito, que teve que se manter sóbrio (o Distrito 13 não tolera alcoolismo, desperdício e até mesmo vaidade, as dificuldades e as pragas fizeram deles sistemáticos e controlados) foi um bom arquitetador de planos e vítima de muitas desconfianças.
E Peeta, como não  falar nele? Ele que teve passagens muito angustiantes e foi causador de pensamentos também angustiantes.

Ainda não consigo dizer se o final foi bom ou ruim, mas com certeza inesperado.

A saga inteira conseguiu ser totalmente diferente de outras que envolvem triângulos amorosos, lutas e mocinhas como personagens principais. Temos um triângulo por necessidade do destino, lutas por liberdade e contra a opressão de um Estado dominante e uma mocinha com uma flecha mais afiada que qualquer canino de um vampiro!






Romeu e Julieta - William Shakespeare


Esse foi o primeiro livro deste mês e ele é um clássico, faz parte da coleção de bolso da Saraiva, você com certeza já ouviu falar do casal, já viu um filme ou leu o próprio livro. Mas creiam, li pela primeira vez este ano, a razão? Não sei explicar, mas, sabe o gato de botas ou chapeuzinho vermelho, poucas pessoas leram o livro, mas todo mundo sabe a história! Era isso que acontecia comigo, não sentia necessidade de ler porque já sabia toda a história do casalmas não é bem assim, o livro é bem mais rico que qualquer filme, e isso se aplica a quase todos os livros e filmes que li e vi, nunca um filme supera o livro. Leiam e descubram ricos detalhes da história que os filmes não conseguiram abordar.



Dez (Quase) Amores - Claudia Tajes

Imagem tosquinha da internet
Esse é o segundo melhor livro do mês! Ele faz parte da coleção de bolso da L&PM, o coitado estava largado no meio de salgados na fila do Carrefour resolvi resgatá-lo e como eu estava a fim de ler algo leve e o livro é bem fininho uni o útil ao agradável, o título e a sinopse me chamaram atenção e gente como a leitura é divertida, tem as melhores tiradas que já li, dei muita risada e pude me identificar em alguns casos e outros identifiquei amigas e até a minha mãe pasmem! Nem pude fotografar o livro porque o deixei na casa da minha mãe, ela tinha que ler! 
Super recomendo se você está afim de uma leitura leve e engraçada, se não me engano custou R$ 14,90.
Vou deixar a sinopse feita pela Martha Medeiros aqui para vocês:

"O homem dos seus sonhos não cometeria a deselegância de se chamar Dejair ou usar alpargatas. Você morreria antes de pensar em ser infiel. Não passa pela sua cabeça namorar alguém que você não goste. E homem casado, nem pintado de ouro. Mais baixeza que isso, só participar de suruba.
Bem-vinda ao clube das mulheres que só estão esperando uma boa oportunidade para mandar suas teorias às favas e passar a viver a vida como ela se oferece. Maria Ana, personagem do livro de estréia da Claudia Tajes, também sonha com o príncipe encantado, mas não é fanática por contos de fadas: enquanto não pinta o homem certo, ela vai se divertindo com os errados.
Dez (quase) amores narra os en­con­tros e desencontros de uma legítima 'mulher solteira procura', papel que todas nós já pro­tagonizamos um dia. É divertidíssimo. Tem tira­das impa­gáveis. Puro entretenimento. Um livro reconfortante para quem acha que é o único ser humano do planeta que está sem programa pro sábado. Duvido que seja seu caso, mas se for, o exemplar que você tem em mãos está aí mesmo pra lhe fazer companhia"  

Comentários

  1. Oi Aryana, eu não abandonei o seu blog, viu? Também passei uma semana inteira sem postar, sem tempo e sem coragem, mas agora voltei. Eu adoro a trilogia de Jogos Vorazes, mas odiei o final, senti como se ela estivesse com preguiça de terminar a história direito, enfim... E sabe de uma coisa? Eu só fui ler Romeu e Julieta recentemente também! Eu faço coleção de livros de bolso da L&PM, cabem perfeitamente no bolso (dã), ótimas traduções e diagramação e ainda são baratos! Acho que vou fazer um post assim, mas eu escuto é audiolivros no ônibus... xD

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

TRAJES DAS SUPER-HEROÍNAS

Nesta onda de Os Vingadores, resolvi falar sobre as vestimentas das super-heroínas que foram transportadas dos quadrinhos e desenhos animados para as telas de cinema e como sei que as telinhas estarão repletas de super-heróis o ano inteiro, não custa nada julgar a favor ou contra as adaptações dos trajes femininos né! ATENÇÃO: Alto índice de látex!

COMO AS PARISIENSES SE VESTEM

Como as francesas se vestem? Ao contrário do que você pensa as francesas não se vestem como nos editoriais de moda, muito pelo contrário, a francesa não é do tipo escrava da moda, na verdade seu lema é basicamente "não ligo pra moda, tenho meu próprio estilo!" E isso é que as torna tão elegantes e as diferenciam do restante das mortais.  A francesa conhece seu corpo e por isso usa apenas o que lhe cai bem, o que lhe deixa confortável e a faz sentir-se bonita, ela não compra roupas, investe! Exatamente, não é do feitio da francesa, principalmente a que mora em Paris, comprar roupas que só vai usar por uma temporada, ela investe em peças atemporais e o que as faz ficar na moda?Os acessórios! Como vocês bem sabem não há acessório que não faça aquela roupa mixuruca e batidinha se renovar! Então vamos lá, o que não pode faltar no guarda-roupa da parisiense?

Item nº 1. Camisa Branca
Acredito que isso não falte no guarda roupa de qualquer garota, independente da nacionalidade, camis…

GUIA BÁSICO PARA FALAR FRANCÊS

Ainda não conheci nenhuma garota que me dissesse que não tem vontade de ir à França, especificamente à Paris, a cidade tem uma magia, algo que encanta  e inspira  a todos!
Ao contrário de outras culturas norte-americanao brasileiro gosta de se comunicar e aprender novos idiomas, gostamos de facilitar a comunicação com os outros povos, é uma característica bem nossa.
Então você que pretende nas férias dar um pulinho naFrança ou em países que falem o idioma, mas não entrou num cursinho de francês, fique de olho nas dicas de conversação básica abaixo: